O carrossel mágico

 

Era uma vez…
Um carrossel que já estava gasto pelo tempo, as músicas que se ouviam já eram dos tempos antigos, as luzes tinham perdido o brilho cor de rosa, mas os cavalos continuavam a subir e a descer embalados pelas velhas melodias.

Outrora, este carrossel enchia-se de meninos que riam e gritavam de alegria e os cavalinhos pareciam que ganhavam vida e os levavam para mundos de fantasia onde tudo, mas tudo era possível.

Mas hoje, este carrossel pouco funciona, as crianças passam ao lado dele, indiferentes, já não o olham com os olhos brilhantes, nem puxam as mães pelas saias, para as deixar andar.
O Carrossel continua a girar, a música dos outros tempos a tocar…mas não há risos, nem empurrões para escolher o cavalinho para sonhar.
O dono do carrossel sabia que os tempos tinham mudado e que os meninos tinham tanta, mas tanta coisa para brincar , que o carrossel já não os maravilhava, nem os punha a sonhar.
Ele só mantinha o carrossel a trabalhar porque havia uma cliente, que todos os dias, às quatro horas em ponto, comprava todos os bilhetes e abria aquele sorriso maravilhoso e sonhava, sonhava…

Um dia, o dono do carrossel decidiu que tinha de o fechar, já não tinha dinheiro para o sustentar. Nesse dia ninguém deu pela falta da música de outros tempos, nem dos cavalinhos a subir e a descer, a não ser, uma senhora velhinha que diante o carrossel chorava com lágrimas de desesperar.

O dono do carrossel foi com tristeza ter com a senhora já velhinha:
– Dona Alice, tive de fechar o carrossel, já não tinha dinheiro para o sustentar .
– Oh! senhor, dono do carrossel … e agora o que vai ser de mim, como vou eu passar sem o sobe e desce dos cavalinhos e a música de outros tempos!
– Lamento, mas vou partir para outra terra, onde o carrossel possa encher as crianças de felicidade e magia- disse o dono do carrossel de cabeça baixa e uma lágrima no olho.
D. Alice, não era mulher para baixar os braços, já se tinha aventurado pelo país das Maravilhas, tinha até passado para o outro lado do espelho. Ela era uma lutadora!

Nessa noite, o dono do carrossel estava triste e preparava as malas para partir .
Foi então, que algo o surpreendeu, uma multidão de crianças dirigia-se para o carrossel, a frente delas, a Alice sorria satisfação.
O dono do carrossel ligou-o… os cavalinhos começaram a subir e descer, a música de outros tempos ganhou um sabor especial, as luzes cor de rosas pareciam estar mais brilhantes e as crianças sorriam com um brilhozinho nos olhos.
A Alice ia contando as suas aventuras, gatos, lagartas, rainhas más , coelhos brancos preenchiam este mundo de encantar . As crianças cresceram, diminuíram, beberam chá, viram castelos de encantar, caminharam por florestas e enfrentaram exércitos de cartas a marchar.
Nunca mais, o carrossel fechou … todos os dias, às quatro da tarde, uma multidão de crianças acompanhadas pela Alice cavalga para mundos mágicos, cheios de aventuras e mistérios.

Vanda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *