A simplicidade cresce no interior de quem não se coloca acima do próximo

 

Atualmente há quem confunda simplicidade com alguma estupidez natural, ou com ausência de objetivos…não há nada de mais errado, ser simples é viver de acordo com os seus valores e ideais, indo até ao fim por eles, ser simples é valorizar o pormenor, estar perto de quem é realmente importante e ajudar o próximo de forma desinteressada.

Porém, a intoxicação informativa vai criando um lixo psicológico nas nossas mentes, que nos impede de ver e valorizar o que realmente importante e simples (apreciar o pôr-do-sol, a brisa do vento, o chilrear dos pássaros, o riso das crianças).

Ser simples é optar por ouvir o nosso coração, é não seguir o caminho mais fácil, mas optar por aquele que vai ao encontro dos nossos ideais, é ser solidário e  arrumar  o egocentrismo na gaveta mais escondida.

Simples, são as crianças, que nos dizem coisas de encantar…

Conversa numa Escola Básica :

Estava a contar às crianças que tinha vindo de Alcobaça e que não podia estar ali mais tempo a contar histórias, pois ainda tinha uma viajem muito grande para fazer, quando uma criança me questionou:

-Então, mas tu não tens uma varinha mágicaagora é só fazeres perlimpimpim e voltas para casa…

Para as crianças é tudo tão simples, “descomplicado” e mágico…  Por isso sempre que conseguimos: toca ligar o” descomplicómetro” e plim plim perlimpimpim  a vida é mais bonita e mais fácil assim!

Vanda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *