A prima da Princesa Ervilha

                        

   Era uma vez uma princesa que se se achava especial, até se pavoneava pelas cortes, dizendo que era prima, da famosa princesa Ervilha.

Certo dia, farta de procurar pretendentes e sem encontrar nenhum que lhe agradasse, decidiu seguir o caminho da prima.

Num dia de tempestade, a princesa saiu por aí à procura de um Castelo encantado, estava encharcada até aos ossos, quando deu com um castelo, mais para o assombrado, do que para o encantado, mas era um castelo e isso é que interessava!

Bateu à porta Truz, Truz, Truz…. Uma criada abriu a porta e ela não tardou a contar que era uma princesa em apuros e que precisava de guarida. Foi levada à Rainha e voltou a contar a mesma história da princesa em apuros. A Rainha convidou-a para ficar e encaminhou-a para um quarto. 

Pelo caminho, ia ficando ansiosa, será que a esperava cem colchões e uma ervilha em baixo?

A Rainha que, entretanto, se apercebeu do nervosismo da princesa disse-lhe:

– Amanhã apresento-lhe o meu filho, deve ser da sua idade.

– A Rainha não me vai fazer o teste para ver se eu sou uma princesa de verdade? Apresenta-me assim o seu filho sem saber se eu sou da realeza? – disse a princesa muito pasmada.

– Ohhh, já ninguém liga a isso, tantos príncipes já casaram com plebeias! isso era conversa de outros tempos.

A princesa não gostou do que ouviu, ora! esta família real não me interessa, não têm pedigree. Ao amanhecer, saiu sem ninguém dar por ela.

Bem, tinha de voltar a tentar…

Num dia de tempestade, a princesa saiu por aí à procura de um castelo Encantado, estava encharcada até aos ossos e não havia maneira do castelo aparecer. Foi então, que viu um pequeno lago no meio do nada e apeteceu-lhe chorar, onde estava o castelo?

Foi então, que se lembrou da história do Príncipe Sapo. Aproximou-se do lago e para seu espanto, em cima de uma folha estava um enorme sapo verde a coaxar. Era de certeza o seu Príncipe.

– Sapo, sapo, anda aqui ao pé de mim, deixa-me dar-te um beijo de amor, logo, logo te tornarás um Príncipe verdadeiro.

Talvez, por curiosidade, ou não! o sapo aproximou-se da margem e a princesa agarrou naquele sapo gordo e verde. E imaginem só …deu-lhe um beijo, mas nada aconteceu. Depois, deu outro, mas nada…ela já estava a ficar enojada.  Quem era aquele Príncipe, que estava a gozar com ela? Estava-se a fazer difícil, mas ela ia conseguir quebrar o feitiço.

Agarrou no sapo e levou -o para o castelo, lavou-o, perfumou-o deu-lhe mais umas beijocas, mas nada!

Ainda o teve para a atirar à parede, pois ela tinha ouvido uma versão em que só quando o sapo foi atirado, se tornou um Príncipe, mas depois lembrou-se que não devia maltratar os animais e foi deixá-lo no jardim do seu palácio.

E foi assim, que a princesa se deixou de procurar príncipes e investiu uns dinheiros a remodelar o palácio e fez um Turismo de Habitação …. Hoje em dia é uma Princesa Empreendedora e Moderna.

Vanda Furtado Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *