A peneira Celestial

Era uma vez…
Num planeta distante, algo de muito preocupante estava a acontecer, as pessoas andavam maldispostas, zangadas, cheias de dureza no coração, com egos inflamados e com enormes couraças de ferro que escondiam a sua verdadeira essência.
Imaginem só, que até havia governantes de alguns países desse mundo, que eram seres cheios de ódio, raiva, rancor, com uns enormes cifrões nos seus olhos, estes manipulavam as pessoas através da energia do medo. Começava a ser assustador ver nascer exércitos de pessoas adormecidas e anestesiadas. O planeta azul estava a começar a ter dificuldade de respirar, de se cuidar e regenerar. O ar estava a ficar sufocante, as palavras malévolas, maldosas eram tantas que se acumulavam nos céus, não deixando que as nuvens e o vento se pudessem refrescar. O céu estava denso, a natureza com falta de ar, as pessoas zangadas, ressentidas, sem paz, amor e compaixão. Bem, o cenário estava a ficar bem negro!
Mas, as forças do bem, estão sempre a olhar para nós, e os magos brancos que vivem na Lua, ao ver tamanha conjuntura, decidiram reunir-se e tomar uma posição.
– Caros Magos, temos de salvar o planeta azul, ele já está com dificuldades em respirar e a luz do bem está a ficar tão débil e franzina que já nem ilumina a noite escura- disse o Mago mais luminoso.
– Eu tenho uma solução, é agora que vou testar a minha engenhoca – disse o Mago engenhocas.
– Contá-la Engenhocas, estamos mesmo a precisar de uma solução cheia de engenhoquice.
– Ora, meus caros, vou construir uma peneira celestial! então passo a explicar: As pessoas andam zangadas e estão a encher o mundo de palavras zangadas e maldispostas de tal forma que o planeta nem respira, as suas cabeças só pensam em bens materiais, certo?
– Vá engenhocas, estamos em pulgas! – disseram os magos todos ao mesmo tempo.
– Vou criar uma peneira celestial, uma enorme, enorme peneira feita de cristal, assim tudo o que não é puro, vindo do coração, passa a ser peneirado e fica entre as malhas da enorme peneira celestial. O planeta azul vai passar a receber apenas as poeiras puras e mágicas vindas da magia estrelas.
– Uaauuuuu, que ideia ultra magnifica, mas o que fazemos ao lixo todo que fica na peneira?
– Ora, ora magos luminosos, a nossa luz, dará cabo dele em segundos – disse o mago engenhocas com um sorriso ainda mais luminoso. Até parece que também andam totós!
Assim foi, os magos construíram a enoooooorme peneira celestial e o planeta azul começou a regenerar-se e a revitalizar-se.
A pouco e pouco as belas e os belos adormecidos iam acordando do sono profundo, não com um beijo de um príncipe ou de uma princesa irresistível, mas com a energia do amor que se soltava da peneira celestial. Quem já vibrava no amor, via pelo canto do olho uma poeria dourada a descer dos céus e sorria de satisfação, os outros não percebiam o que estava a acontecer, mas sentiam uma comichão deliciosa na pele.
O planeta estava a despertar e o canto do amor estava a mergulhar no interior dos seres deste mundo azul.
Vanda Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *