A lagartinha Teresa

A Lagartinha Teresa

Uma história sobre saber esperar e trabalhar para sermos a nossa melhor versão.

A lagarta ia se arrastando pela terra lenta e vagarosamente ,deixando um rasto de tristeza e desilusão. Na sua cabeça de lagarta vinham pensamentos pessimistas “sempre a arrastar-me nesta terra dura e cheia de cascalho, sou o mais infeliz dos bichos do bosque, se ao menos fosse bonita , tudo seria mais fácil “ Andava perdida nesses pensamentos, quando sentiu um vento sobre a sua cabeça, era o Artur, o beija-flor.
-Lagartinha Teresa ! Estás vestida de tristeza? Que se passa? – disse o beija flor muito preocupado.
– Oh Artur ! Estou cansada de me arrastar na terra , queria voar, queria ser leve e elegante como tu !- Lagartinha, tu és tão fofa e tens um andar tão giro e ondulante .
– Como aprendeste a voar , achas que eu vou conseguir prender ? Levas-me no teu bico até uma árvore para eu aprender?
– Lagartinha, tu não tens asas ! Como queres voar ? Só te ias magoar ?- magoada, já estou eu, não tenho asas para voar, só posso rastejar e sou a mais feia dos bichos!
Entretanto aproximaram-se do lago e o peixe Dionísio deu um grande salto de satisfação ao ver os seus dois amigos.
– Teresa , Artur vieram- visitar-me ? Oh! Estou tão feliz.!
– Nada disso, ando por aqui a lamentar-me e arrastar-me ,pois sou o mais infeliz dos bichos do bosque, ah! E o mais feio e mais inútil
.- Teresa, o que passa? Não costumas ser assim?- disse o Dioniso tristonho.
.- Pois, mas ultimamente cansei-me , sempre a rastejar na terra, sempre a fazer de conta que estou feliz, eu queria ser diferente! Queria voar como o Artur, dar saltos na água como tu. Por isso sou a mais infeliz das lagartas.
– Teresa, tu estás a caminho da tua transformação , sabes bem , que não tarda, serás uma borboleta bela e deslumbrante,só tens de saber esperar!
– Vocês acreditam nisso? É tudo uma mentira que nos contaram , nunca deixarei de ser lagarta feia- ia dizendo a Teresa num enorme pranto, à medida que a terra se ia enchendo de lágrimas de lagarta.
Foi então que a Laura toupeira espreitou pelo buraco que as lágrimas iam abrindo.
– Teresa, estava eu tão sossegada , no meu ninho subterrâneo, quando comecei a ouvir uma choradeira , ouve cá ! O que se passa nessa cabeça de lagarta ? Temos de saber esperar, temos de aprender muito e muito, para nos poderemos transformar na nossa melhor versão, ou pensas que basta esfregar os dedos e puf! Já estás maravilhosa e perfeita ? Uiiii, tanta cabeçada temos de dar, olha eu então farto-me de dar nas minhas caminhadas subterrâneas, mas nunca desisto e persisto, persisto.
A Teresa começou a perceber que estava a ser egoísta e infantil , afinal ela até gostava do conforto que sentia ao caminhar na Mãe-Terra e sentir o seu pulsar.
Ela estava a querer apressar tudo, mas tinha de saber esperar para se poder transformar , para isso isso tinha de aprender a ser a sua melhor versão e parar de se lamentar.” Que tola estava a ser “!
Passado um tempo, ouviu-se um flap flap, flap e umas risadinhas fininhas no bosque, a Teresa tinha-se transformado numa bela e majestosa borboleta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *