A gata ervilha

Num dia de grande temporal a gata Mimi, oriunda da mais fina estirpe real , perdeu-se na floresta.A chuva caia torrencialmente, o seu pelo real estava a ficar despenteado, eriçado e desgrenhado. Mimi estava furiosa tinha perdido tanto tempo a lamber o seu pelo, para nada …mais parecia uma gata pingada. A culpa era da sua teimosia, da sua rebeldia, mas não se arrependia.Estava farta dos príncipes Gatos enfileirados que os seus pais insistiam em chamar dos reinos distantes e até além-mar. Mimi já não aguentava tamanha algazarra. Se ela tinha de casar, era ela que teria de escolher o seu príncipe.

Porém os pais agiam como se vivessem nos contos de fadas de outros tempos. Arranjar-lhe um príncipe encantado…onde é que isso cabia numa sociedade moderna, sendo ela uma gata independente.Bem, mas estava a começar a ficar assustada, a chuva estava a deixar-lhes os olhos embaciados, o pelo ensopado, tinha fome e estava a ficar com frio.

Foi então que viu uma luz tremula à distância, respirou fundo e deu corda às patas e correu com todas as forças que tinha. Só deu por si, diante de um castelo. nem pensou duas vezes e miou desenfreadamente miauuuuuuuuuuuu à espera que lhe abrissem á porta.

Uma gata fardada abriu-lhe a porta e Mimi pediu ajuda , explicando que era um princesa em apuros , que se tinha perdido na floresta.Deixaram-na entrar e levaram-na para a sala, deram-lhe um enorme prato de friskies e secaram-lhe o pelo com um secador real. Agora sim! Estava com um aspeto apresentável. Olhou-se ao espelho e o seu pelo preto estava brilhante e luzidio e os seus olhos azuis já tinham ganho brilho do costume.

Entretanto, tocaram as trompetas e o rei e a rainha gatos apareceram diante dela. Ela fez uma vénia e apressou-se a agradecer

.- Agradeço muito terem-me acolhido, já estava a ficar aflita com este temporal no meio da floresta, mas assim que o tempo amainar terei de ir, para os meus pais não ficarem numa aflição

.- Nem pensar, fica aqui esta noite, já lhe preparamos a cama, uma princesa não pode andar por aí numa noite como esta. Amanhã os nossos cavaleiros irão levá-la até aos seus pais. Já agora qual o nome de família?

– Nós somos Albuquerque e Bragança, uma linhagem real, descendemos das famílias gatais mais importantes do reino.

– Muito Bem, uma gata cheia de pedigree -disseram ambos com um ar desconfiado.

A Mimi foi levada para o quarto, onde a esperava uma pilha enorme de almofadas, ela ficou muito admirada com aquela cama estanha, mas antes de falar , já a criada lhe dizia que era um costume muito antigo deste casteloNa sala do trono, a rainha dizia para o rei

.- Já lhe preparei o teste da gata princesa verdadeira, se for uma gata impostora, logo ficaremos a saber

.Durante a noite , a Mimi deu voltas e voltas, enroscou-se , esticou-se virou-se , fez o pino, mas algo não a deixava dormir.Pela manhã estava com os olhos inchados, não tinha dormido nada, estava deserta para ir para casa. mas como era bem-educada foi despedir-se dos Reis gatos.

– Agradeço a vossa hospitalidade, mas dormi muito mal, até estou mal disposta – disse a Mimi enjoada

.- Princesa Mimi, agora sei que é de uma linhagem fina e real, pois só uma gata de alta estirpe se incomodaria com uma ervilha que coloquei debaixo das cinquenta almofadas.

A Mimi passou no teste das princesas gatas verdadeiras

.- Nós mesmos, a levaremos no coche real até aos seus pais, vou chamar o nosso filho Sebastião para vir connosco. Sebastiaaaaaaaooooooo miou a rainha

A Mimi olhou para cima e viu o gato mais charmoso, que tinha visto em toda a sua vida, ficou tão nervosa que os bigodes se eriçaram de emoção.Ele não caminhava, desfilava sobre as suas quatro patas. O seu pelo ruivo, brilhava ao sol e os seus olhos verdes incendiaram-lhe o coração.

Entraram no coche, o rei, a rainha a Mimi e o Sebastião, a meio do caminho, já os dois príncipes gatos ronronavam de emoção e os seus rabos enrolavam-se , formando um pequeno coração.

Vanda

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *