A estrutura dos Contos de fadas

 

 

Cada vez que escrevo uma história para as crianças oriento-me pela estrutura dos

contos de Fadas.

Os contos de Fadas são cruciais para a formação emocional da criança, pois ajudam

as crianças a encontrar soluções para os conflitos que  vivem no dia a dia.

Uma criança ao ouvir um conto clássico, está a  ouvir não só os seus conflitos, mas os

de todos os seres humanos. Com estas histórias, a criança pode identificar-se com o herói

e sentir-se forte para lutar, apesar dos obstáculos que vão surgindo pelo caminho.

A criança apercebe-se que vale a pena lutar, pois no final emergirá a vitória.

As estruturas dos contos de fadas dão ainda às crianças a possibilidade de perceberem

que nós nem sempre conseguimos ser bons, às vezes somos como feras.

Nos contos clássicos, as bruxas, as feras e outros seres permitem que as crianças exorcizem

o seu medo de serem maus.

  Segundo Bruno Bettelheim- “os contos servem como alívio de todas as pressões e não só oferece formas de resolver os problemas, mas promete uma solução feliz. Também possibilita a criança viver papéis de todos os matizes: ora é herói, ora é bandido; ora é um príncipe, ora é um monstro… assim vai experimentando e optando por aquele que mais se identifica e vivendo emoções na pele de todos os personagens. O papel dos contos de fadas é colocar alguma ordem no caos interno da sua mente de modo a poder entender-se melhor.”

Analisando alguns dos meus livros:

 No “Pedro e Inês- Uma história de amor” temos o herói que é D. Pedro, que teve de passar por grandes privações, obstáculos, lutas e contenções, contra tudo e contra todos, para dormir o sono eterno com a sua amada- Inês de Castro

Na” Padeira de Aljubarrota” temos uma heroína diferente do comum. Brites era feia, aventureira e com seis dedos em cada mão. Para triunfar teve de tomar uma serie de decisões difíceis na sua vida.  Por ser uma mulher, corajosa e destímida enfrenta o inimigo, com um objeto mágico –  a pá.

Desta forma Brites tornou.se uma heroína da nossa História.

 

No” D. Fuas Roupinho” temos a história de um cavaleiro que era forte e corajoso e que um dia ao encontrar a imagem da Nossa Senhora, se tornou invencível.  Porém tinha de mostrar que também era forte espiritualmente e que não se iria deslumbrar pelo mundo material

Assim D.Fuas foi posto à prova pelas forças do mal. Mas no final feliz… o Bem triunfa sobre o Mal e o cavaleiro é salvo pela sua fé interior.

Vanda Marques

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *